NÓS QUATRO

Foto de JR Panela

O Projeto Achados & Perdidos é composto por Andrei Bessa, Danilo Castro, Edivaldo Batista e Keka Abrantes.  Realiza-se da união recente de quatro graduados no curso de Artes Cênicas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Cada integrante emerge com sua bagagem teatral, mas em prol de um trabalho artístico que converge inquietações e linguagens na busca por uma estética ampla.

O coletivo trabalha desde julho de 2012 com resgate de memórias e exposição do eu, explorando uma dramaturgia em processo. Os artistas relatam histórias de vida, das alegrias às desventuras que os construíram, com intuito de criar obras a partir de um mote extremamente particular. A fonte é a memória individual e familiar, onde os causos de perdas e ganhos constroem o trabalho.

DAQUILO QUE SOMOS

Andrei Bessa é bacharelado em baixar músicas, graduado em Artes Cênicas no IFCE, em publicidade na UFC, mestre em Artes também na UFC. Diz que assistiu todos os episódios de Chaves. É integrante do Coletivo Cambada. Carrega heranças do Massapê e do Alto Santo. Hoje vive no oitavo andar de um prédio numa avenida larga, onde namora todos os dias com o resto do mundo.

Edivaldo Batista é ator, graduado em Artes Cênicas pelo IFCE, cria uma gata chamada Guenon, que já teve três filhos. Tem profunda admiração pela mulher e suas potencialidades ritualísticas e cênicas. Nasceu em Aracoiaba, mas hoje é filho do Benfica. É integrante do Teatro Máquina, gosta de samba,  cerveja, comida, piada, brinquedo, bermudinhas e café.

Danilo Castro pensou que seria artista plástico, mas se tornou ator, graduado pelo IFCE. Ele divide as artes com o campo do jornalismo, onde se graduou na UFC. É mestrando em Artes Cênicas da UnB. Gosta de escrever contos, cartas e textos opinativos, chora quando vê criança com pé descalço na rua e ri com piadas bobas. Tem um irmão músico, mas escuta pouca música. Ele também fala com a as mãos, através da Libras. Ama a praia de Flecheiras porque a avó sempre o levou para lá.

Keka Abrantes é atriz, graduada em Artes Cênicas pelo IFCE e em Enfermagem pela UFC, mestranda na Unilab. Ama viajar e detesta cozinhar. Assim que nasceu se mudou para João Pessoa e aos 18 anos decidiu vir morar sozinha em Fortaleza. Ela escolheu o próprio nome. Há dois anos tenta praticar capoeira e há um mês resolveu aprender a tocar cuíca. Comprou um vestido de casamento mas não chegou a usá-lo.

Colaboradores da Obra Cênica #1

Aline Sampaio - supervisão de coreografia.
Felype Ferro - aulas de canto.
Mestre Julio Santos - fotopinturas.
Rafael Barbosa - colaboração dramatúrgica.
Rafaela Kalaffa - supervisão de figurinos.
Thalita Lopes - produção.
Walmick Campos - projeto gráfico.
Grupo Pavilhão da Magnólia.
Casa da Esquina (Teatro Máquina e Grupo Bagaceira de Teatro) 






Nenhum comentário:

Postar um comentário